Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Primeiro Ano na Paraíba

O tempo passa rápido e hoje, 28 de dezembro de 2010 completo um ano aqui na Paraíba. Se nós tivéssemos como prever o futuro, tudo, a meu ver perderia a graça. Somente na minha terceira passagem por aqui já com mais de 5 anos velejando entre costa do Brasil, Costa nordeste-norte da America do Sul e Caribe pude ver com os outros olhos a Paraíba. Na primeira vez, quando ainda não conhecia sequer o Nordeste e aportei em Cabedelo, vindo de Fernando de Noronha, tinha somente um objetivo na minha mente: Comprar o meu veleiro para poder seguir no meu plano de ficar pelo menos um ano vivendo a bordo. A Paraíba para mim se resumiu a curtir a festa de confraternização no então Iate Clube da Paraiba, confraternizar com os outros velejadores e organizar o Antares para rumar para Ubatuba onde ele seria entregue ao proprietário. Na segunda oportunidade em que arribei foi vindo de Salvador com destino ao Caribe, velejando no meu próprio veleiro, o Tritton ( Brasília 32) que havia adquirido com  meu próprio esforço. Também desta vez a Paraíba foi apenas uma parada para curtir. Cheguei aqui trazendo uma tripulante Paraibana e com a ajuda dela pude conhecer melhor o litoral e outros aspectos da Região mas ainda sem despertar nenhum um sentimento mais profundo. Na terceira e derradeira parada em 28.12.2010 foi diferente, algo já havia mudado dentro de mim. Meu sonho de viver a bordo de um veleiro já havia se concretizado além das expectativas. Velejava rumo sul com outro pensamento. Uma etapa de minha vida já havia terminado e neste momento buscava suporte para uma outra etapa que vinha se desenhando na minha mente. Precisava pela primeira vez colocar o pé em terra, me organizar, ganhar fôlego para empreender novos desafios. Depois da experiência de navegar mais de 15 mil milhas desde que deixei Porto Alegre em jul-2005 sempre com poucos recursos financeiros, estava cansado de ter que matar um leão a cada dia para manter o meu sonho.  Então, nesta última parada aqui na Paraíba tinha além da questão básica da sobrevivência um olhar voltado para novas oportunidades que não fossem somente para seguir flutuando ao sabor dos acontecimentos. Tinha em mãos uma nova habilitação e entre outras possibilidades buscava um trabalho como Moço de Convés ( STCW 78 - ordinary seaman). Buscava um trabalho como profissional em alguma embarcação comercial para poder aos poucos injetar algum dinheiro no meu valente companheiro de aventuras , o Tritton (Brasilia 32 ) que estava cada vez mais sucateado. Com uma semana ancorado na praia fluvial do Jacaré já tinha feito varios contatos e foi quando surgiu meu primeiro trabalho como profissional. Comecei a trabalhar em um catamaram de passeio de 60 pés e capacidade para até 180 passageiros. O barco estava em fase final de construção , faltando ainda vários itens para ganhar a licença da capitania dos portos. A história não foi muito adiante pois o armador estava quebrado e totalmente sujo na praça. Foi neste período que descanso forçado que descobri a apenas uma milha de onde estava a Ribeira. Foi desta forma que meu destino deu uma virada e terminei transformando a Paraíba no meu porto principal em 01Abr10.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Busco Sócio para a Ribeira Adventure Club - Candidate-se !!!!

Estamos buscando um sócio para a Ribeira Adventure Club. O motivo principal é poder continuar disfrutando de tempo para velejar. A Ribeira já mostrou seu potencial nestes escassos 7 meses de existência. Mas a idéia é conseguir um sócio para poder estabelecer uma rotina de 6 meses trabalhando e 6 meses velejando. Para isso estamos buscando um sócio que tenha experiência com vela de cruzeiro, saiba pelo menos ingles ou outro idioma e tenha vontade de velejar como nós. Se você tem este perfil contate-nos através do Blog ou pelos fones 083 3665.5003 ou 083 9601.8798.

sábado, 2 de outubro de 2010

Ribeira Adventure Club - Marina e Clube de Aventuras na Paraíba

Neste dia 01.10.2010 completamos seis meses de um novo empreendimento aqui na Paraíba. A Marina e Clube de Aventuras chegou para oferecer refúgio aos velejadores de todas as nacionalidades que estejam de passagem pela costa da Paraíba. Com uma estrutura simples mas atendida pelos próprios proprietários ( Luciano Zinn & Concita Reis ), recebemos com grande entusiasmo os navegantes. A Marina tem capacidade para atracar 12 veleiros com calado máximo de 2,00 metros além das facilidades como internet, água, luz(220 v), banheiros (03), Churrasqueira, Bar e Piscina. Dispomos também de um local para docar veleiros para pintura de fundo e outros serviços. Os preços que praticamos são os mais baixos da região e o atendimento individualizado . Venha nos visitar e se encante com a tranquilidade da Ribeira.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Ribeira Adventure Club on Noonssite Cruisers Reports

Cruisers Reports from Jacare, Cabedelo - www.noonsite.com


Created by sue. Last modified on 2010-07-29 10:06:39
Contributors:
Countries: Brazil

We recently spent 4 weeks in Jacare (July 2010).
The first week at anchor in front of “Jarace-village” and the last 3 weeks at “Ribeira adventure club”. This is a new option in the area. Luciano, a local Brazilian, started this small marina only 4 months ago on the other side of Stuart Island. He sailed the South American East coast extensively in the last 5 years before settling here. Luciano and wife, Concieta, are very friendly and helpful. He speaks Spanish and English.
Ribeira is a very small and tranquil fishing village with no food shops. The marina is still in the early phase of development. At the moment he offers cheap prices, front and back moorings for about 10 boats and anchor space. Water, electricity and internet use is available. One can enjoy cruisers-meeting-drinks and tapas at Luciano’s small bar.
The best is to visit his website: www.ribeiraadventureclub.blogspot.com and get the waypoints, as there are sandbanks on the way to Ribeira. We had no problem with a draft of 1.7m .
There are regular water taxis at 2R/S pp from your boat to Jacare. This place is a welcome relief from the all night loud music at Jacare and a very good option for the cruiser on a tight budget.
Jaco and Christelle
S/V Songerie

segunda-feira, 19 de julho de 2010

O mais novo serviço na Ribeira Adventure Club - Bar do Aventureiro

A partir de hoje os Aventureiros de Plantão já podem saborear uma cervejinha bem gelada acompanhado de um bom petisco. A Ribeira Adventure Club conta agora com um bar funcionando de terça a domingo no horário entre 10:00 e 22:00 horas. Ainda se Você esta pensando em promover algum Evento, fale conosco    através do fone 083 9601.8798 ou pelo email lucianozinn@hotmail.com. Traga seus amigos para trocar uma idéia, o resto é por nossa conta.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Progressos da última semana - 11.07.10 a 17.07.10

Então Pessoal ligado nas noticias desde a Ribeira Adventure Club. Esta semana demos seguimento aos trabalhos no sentido de melhorar as condições de atracação dos veleiros. A passarela fixa foi finalmente colocada sobre os dois pilares faltando ainda alguns ajustes. Um dos pilares ficou 13 cm fora da sua posição ideal nos colocando diante de mais um desafio da engenharia tupiniquim. Os desafios vão surgindo e com eles vamos crescendo na solução mais viável dos mesmos.Com a fixação da passarela tivemos que improvisar com uma escada a descida da passarela para o flutuante. Com as marés grandes desta semana de até 2,70 metros a cada maré baixa tínhamos um abismo de pelo menos 2,50 desde a passarela até o flutuante. Os dois veleiros franceses que estavam por aqui se foram tendo que re-organizar os barcos novamente. Como ainda não fizemos  os outros pilares que servirão para segurar os próximos flutuantes , os veleiros ficam amarrados as poitas nas duas extremidades e ao meio unidos por cabos ( popa de um com a proa do seguinte ). Cada vez que um veleiro deixa a Ribeira tenho que organizar tudo novamente. Ainda nesta semana terminei a casa do Hulck que faltavam  as paredes laterais. Este período é bastante pequeno a chegada de veleiros por aqui já que as condições não são muito boas, assim que vamos continuando os trabalhos na espera por melhores tempos. Até a próxima semana. Não deixem de participar do Blog !!!

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Nosso Terceiro Mês por Aqui - Saldo Super Positivo

Hoje, 01 de julho de 2010, completamos três meses de trabalho aqui na Ribeira Adventure Club. E o saldo é bastante positivo. Com os trabalhos até agora focados  principalmente na estruturação da Marina, demos um salto no numero de veleiros atracados .De apenas dois no primeiro mês para sete atualmente. Veleiros de cinco  países ( Espanha, França(2), Inglaterra, Naníbia e Brasil(2) ) descançam nas aguas abrigadas do Rio Ribeira. Neste tempo trabalhamos com afinco de segunda a segunda para acelerar ao máximo o andamento dos trabalhos. Começamos com a confecção do flutuante, depois a passarela e meio de ligação, seguindo com a confecção dos pilares de sustentação . Em seguida demos inicio a confecção das poitas (moring). Atualmente temos cinco deles sustentando as embarcações.Parece pouco mas é muito trabalho quando somente duas pessoas estão envolvidas neste trabalho ( luciano & Concita). Além disto ainda tivemos tempo de confeccionar três mesas com bancos utilizando coqueiros abundantes por aqui. Aos poucos a Ribeira vai ganhando uma nova aparencia ficando ares internacional com o transito das tripulações extrangeiras, maioria por aqui. Com exceção do Tritton e o Ilha Bela, todos os outros cinco veleiros são de bandeira extrangeira.Iniciamos , também, um projeto para a confecção de uma parede de escalada que ira proporcionar um atrativo a mais para os amantes deste esporte. Em termos de segurança instalamos três holofotes além da ajuda do Hulk, nosso novo cão de guarda que esta sempre alerta junto as embarcações. Certamente ainda tem muito por fazer mas estamos contentes com a trajetória até aqui. Fiquem ligados que nestes próximos meses novas bem-feitorias virão.


sexta-feira, 18 de junho de 2010

Mais um veleiro atraca na Ribeira Adventure Club

Nesta semana mais um veleiro atracacou na Ribeira Adventure Club. Depois de cruzar o Atlântico em 17 dias de mar desde Mindelo, Cabo Verde. O veleiro de 9,20 metros tem como tripulantes um casal da Bretanha, França. Com este agora temos cinco veleiros atracados por aqui. Ainda aguardamos para este mês a chegada de mais dois veleiros, um de Natal e outro que vem em um contra-vento desde Trinidad and Tobago no Caribe.
Aos poucos a Ribeira vai se enchendo de histórias destes Aventureiros do Mar.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Velejar em João Pessoa , Paraíba ( sailing in João Pessoa, Paraíba, Brazil)

A primeira vez que cheguei a Paraíba, foi em outubro de 2005 participando da primeira edição da Regata Noronha-Cabedelo. Na época estava como Skipper do veleiro Antares que havia trazido desde de Ubatuba-SP até Recife para participar da REFENO-2005. Minha primeira impressão foi das melhores. Chegamos com uma super recepção no Iate Clube da Paraíba, em um evento que ficou para a história pela sua grandeza e ótima organização. Ficamos por aqui um pouco mais de uma semana antes de zarpar rumo a Ubatuba-SP novamente. Disfrutamos, juntos com velejadores de várias partes do país e exterior de uma estadia sensacional com os Paraibanos nos fazendo sentir em casa mesmo.A praia do Jacaré, com seus bares e o Bolero de Ravel ao entardecer deixaram saudades quando zarpamos rumo sul. Em 2007 novamente cheguei a Cabedelo ( Praia do Jacaré) velejando com o Tritton, um Brasilia 32 que adquiri em 2006 , vindo de Salvador-BA rumo ao Caribe. Desta segunda vez pude conhecer um pouco mais dos encantos desta região previlegiada para os Esportes Náuticos . Por aqui sopram o ano todo os alizios de SE com ventos amenos entre 10-15 nós. E no estuario do rio Paraíba, um verdadeiro paraízo para se navegar o ano todo entre ilhas ,  manguezais e praias abrigadas. Ja a terceira e derradeira vez por aqui se deu em dezembro de 2009 quando retornava de uma tempora de dois anos pelo Caribe com o velho Tritton. Sempre na mesmo refugio da Praia do Jacaré, ancorei o Tritton vindo de Natal, em frente do agora ex-Iate Clube da Paraíba para minha surpresa.
Por aqui desde a muito tempo sempre foi um porto conhecido dos Europeus que cruzam o Atlantico desde Cabo Verde em direção a costa Brasileira e Caribe ou ainda de quem vem das latitudes mais baixas como Africa do Sul, Argentina e Sul-Sudeste do Brasil. Lugar abrigado, facil de entrar em qualquer horário do dia ou da noite, através do Porto de Cabedelo. Mas desta última vez algo novo me chamou a atenção. O grande desenvolvimento náutico desde que cheguei aqui em 2005. Em quatro anos o número de marinas aumentou, juntamente como número de cruzeiristas de todas as partes do mundo, disfrutando das aguas tranquilas do rio Paraíba. O tempo foi passando e eu ancorado tranquilamente em frente ao ex-Iate Clube esperando minha companheira para seguir velejando rumo ao sul. Depois de cinco anos perambulando entre Costa do Brasil, America do Sul, Caribe e Europa, estava de volta ao Brasil com ideia de montar algum empreendimento na área naútica que sempre foi minha grande paixão. Em um manhã depois de tomar meu café tranquilamente resolvi pegar o meu dingue e ir visitar a outra margem do rio em uma localidade que se chamava Ribeira. Do outro lado, escondida ainda, encontrei uma pequena vila encravada em meio a um coqueiral, onde ao desenvolvimento ainda não teve tempo de modificar. E navegando pelas aguas do rio Ribeira, um afluente do rio Paraíba, e que da nome a pequena vila, encontrei um imovel a beira do rio perfeito para os meus planos de montar uma pequena marina. Passados pouco mais de um mês o negócio se concretizou e surgiu também a Ribeira Adventure Club - Seu Clube de Aventuras na Paraíba!!!

segunda-feira, 7 de junho de 2010

A Confecção das Poitas na Ribeira Adventure Club

Dentro dos trabalhos que estamos executando aqui na Ribeira Adventure Club com o objetivo de melhor atender nossos Aventureiros, a confecção de poitas para atracação das embarcações entrou na ordem do dia durante estas duas ultimas semanas. O primeiro passo foi estudar e planejar o modelo da poita, o seu peso e a confecção da estrutura de ferro além do concreto é claro.Depois da consulta utilizando a internet, decidi fazer uma poita de 480 kg, o que segundo materias sobre o assunto suportaria embarcações de até 20 toneladas de deslocamento. Apartir daí passamos a parte prática da história. Primeiro confeccionamos o molde em madeira medindo 0,80 x 0,80 x 0,29 metros , o que daria um total de 0,192 metros cubicos de concreto armado.Terminado o molde, passamos para a estrutua de ferro, em que utilizamos vergalhões de 3/8 pol .
Com o molde pronto, levamos ele para o flutuante para mais tarde facilitar o transporte. O concreto foi feito manualmente mesmo utilizando-se somente pá, enxada e um balde de construção. Em total foram 19 baldes de 10 lts de concreto armado na proporção de 1/2 balde de cimento, 02 baldes de areia, 2,5 baldes de brita e 1/2 balde de agua.


Agora preparem-se para fazer um baita exercício! Da um trabalho daqueles, principalmente para um marinheiro de primeira viagem como eu nos assuntos de concretagem. Optei por fazer o equivalente a 03 baldes de concreto por vez para facilitar a mesclagem dos materiais. No nosso caso tinha que levar o balde até o flutuante bastante distante de onde eu estava preparando o concreto. Enquanto isso minha companheira (Concita) ficava socando e espalhando o concreto dentro do molde para ficar o mais compacto possivel.





Em uma manhã de trabalho duro terminamos de concretar tudo. A preocupação passou a ser o flutuante com um peso extra de 480 kg na sua lateral começou a adernar perigosamente. Deixamos o concreto secando por 3 dias mas sempre regando com agua para que não correr o risco de rachar. O próximo passo foi desmoldar com cuidado para poder utilizar a forma novamente. Queremos fabricar outras 10 poitas para utilizarmos na atracação. Depois de desmoldadas colocamos um cabo de nylon de 1 polegada com uma sapata galvanizada. Agora era só deslocar o monstro para a beirada do flutuante para o pobre Tritton pega-la e transporta-la para a posição definitiva.

Com o Tritton em cena fazendo "as vezes" de Rebocador, arrastamos a monstra para água com uma alavanca de ferro e utilizando uns canos de pvc de 3/4 polegada como roletes. Com muito cuidado e apreensão o bloco foi para agua ficando suspenso pelo Tritton. Os 480 kg fizeram efeito e abicaram bastante o velho Tritton que aguentou firme mais esta faina. Com a poita pintura  navegamos até o ponto onde ela seria colocada e depois de ancorarmos o barco, descemos ela lentamente com o auxílio de dois cadernais duplos para 520 kg. Finalmente a primeira poita já esta posicionada e segurando um dos veleiros que estão por aqui.
Ufaaaa que trabalhão meu!!!

segunda-feira, 17 de maio de 2010

A Novelinha da confecção dos Pilares

Dentro do projeto de construir um pier flutuante na Ribeira Adventure Club a confecção dos pilares de sustentação foi e esta sendo uma verdadeira Novela Mexicana. Neste breve texto vou resumir um pouco dos trabalhos e dificuldades até o momento. Tudo começou com a compra e transporte dos materiais. Como a via melhor e mais rápida é de barco mesmo cruzando da Praia do Jacaré, em Cabedelo para a Ribeira, praticamente tudo veio de canoa. Eu comprava o material e marcava umponto na margem do rio para o caminhão descarregar em um horário previamente estipulado.
Com o material na Ribeira comecei a armar a estrutura de ferro dos pilares. Tudo na base da improvisação montei um gabarito para fazer as  Braçadeiras  de união dos vergalhões . Todos estes trabalhos executava pela primeira vez na vida o que leva um tempo de adaptação e aprendizagem. Trabalhava no chão mesmo apoiando a estrutura de nove metros sobre tijolos . Não precisa nem falar que depois de dois dias agachado minha coluna reclamava muito e cada vez que me levantava me sentia um velho de 80 anos.

Com as estruturas prontas agora necessitava introduzi-las dentro dos tubos de pvc. Com um pedaço de madeira para não danificar os tubos e uma marreta fui metendo na porrada pouco a pouco com a minha companheira e ajudante segurando os tubos para mim. Ainda quebrei um pedaço de um deles tendo que cortar para emparelhar.









Terminado mais este capitulo, passamos para o molde da ponta do pilar . Isto para poder penetrar melhor na fundo do rio Ribeira mais tarde. Para isso utilizamos uma garrafa de 2,5 litros junto com uma de água de 5,0 litros para moldar a ponta. Unimos as duas ao tubo com fita adesiva e pronto mais um passo na direção do final da novela.

Seguimos nossa odiséia preparando um apoio para a tal ponta do pilar. Com o peso do concreto ela fatalmente iria se deslocar ou mesmo entortar. Então mais uma solução foi encontrada . Colocamos duas madeiras nas laterais do tubo amarradas e depois fizemos dois furos atravessando o tubo onde colocamos dois vergalhoões atravessados para dar sustentação. Agora o tubo ja estava preparado para receber o concreto. Mas onde colocar um tubo de seis metros com mais tres metros de estrutura de ferro na vertical e ainda poder mais tarde enche-la com concreto. Mais um capitulo se apresentava diante de nossas mentes.

Depois de muito queimar a cabeça atras de um local adequado, só nos restou o telhado da Casa mesmo para servir de base para apoiar e abastecer os tubos com o concreto. Os engenheiros de plantão foram acionados a engendrar todo o procedimento. Com auxílio de  moitões do velho Tritton içamos o tubo até a cumieira da casa onde foi devidamente amarrado na vertical. Na primeira tentativa de subir no telhado para provar o local quebrei umas cinco telhas apesar de andar como uma aranha pelo telhado. Voltei meio desolado para baixo. Mas ai veio outra solução: destelhar o telhado para poder colocar umas pranchas de madeira e ter uma base 
sólida para executar a ardua tarefa que se avizinhava.

 

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Este Blog também é Seu!!! - O seu depoimento é Importante para Nós

É isso ai Galera!!! A idéia é tornar este BLOG um espaço aberto a todos que gostam dos Esportes de Aventura. Aqui Você pode OPINAR, ESCREVER MATÉRIAS, DIVULGAR EVENTOS E PORQUE NÃO FAZER CRITICAS E DAR SUGESTÕES.
Entre em contato com a gente através dos seguintes meios eletrônicos:
lucianozinn@hotmail.com - zinn.45@gmai.com - skype:lucianozinn - http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=14183075810230849104

Envie o seu email de contato que eu farei a sua inclusão na lista parceiros do Blog.

Album de Fotos da Ribeira Adventure Club - Seu Clube de Aventuras da paraíba!!!

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Velejador gaúcho percorre litoral brasileiro para escrever livro

Por Jully Camilo
Jornal Pequeno , São Luis - Maranhão
20 de Abril de 2007
http://www.jornalpequeno.com.br/2007/4/20/Pagina54625.htm

O professor de educação física Luciano Zinn, 45 anos, natural de Cachoeira do Sul - RS, já veleja a nove anos pelos mares brasileiros e aportou pela primeira vez, na última sexta-feira, 13, em águas maranhenses. O gaúcho que no ano de 2005 lançou o livro “Mil milhas com os Sdruvs”, após percorrer a parte Sul do país, do Chuí a Porto Alegre, prepara-se agora para lançar sua segunda obra, velejando pelo litoral do país, no veleiro Tritton, relatando os perigos, facilidades, necessidades entre outras informações que o velejador deve possuir a bordo de um navio. Ele faz uma sessão de autógrafos hoje, 20, às 17h, na Poeme-se Livros e CDs, na rua do Sol, 451.
De acordo com Luciano, ele saiu de Porto Alegre há exatamente um ano e nove meses (julho de 2005), em busca de coletar dados para completar seu segundo livro. “O título ainda está em definição, mas a intenção é transformar o livro em um guia da costa do Brasil, com dicas que sirvam para facilitar a vida do velejador que ainda não conhece a rota, os locais onde deve aportar entre outras dicas importantíssimas”, afirmou.
Segundo o velejador, a próxima parada será em Belém e de lá ele subirá rumo ao Caribe, depois retornará para Porto Alegre, o qual foi seu ponto de partida. “Não tenho patrocínio, normalmente viajo com tripulantes, dou aulas de vela e manutenção em veleiros. Procuro sempre passageiros ganho transportando essas pessoas, inclusive trouxe comigo um espanhol que subiu no barco em Natal e desembarcou aqui.”, declarou.
Luciano Zinn afirmou que passa aproximadamente um mês em cada local que visita, afinal tem que procurar seus tripulantes e divulgar seu livro “Mil milhas com os Sdruvs”. Ele dorme normalmente nas Marinas ou Iates Clubes das cidades. “O Sdruvs era meu antigo barco, hoje comprei um mais potente o Tritton. Ele pesa cinco toneladas, tem 10 metros, enquanto que o Sdruvs só tinha sete e bem mais equipado. Além de pescar, sempre levo comida estocada e não saio sem antes pesquisar no site da marinha como estará a previsão do tempo e as possíveis mudanças climáticas”, informou.
O velejador explicou que quem tiver interesse de adquirir o livro “Mil milhas com os Sdruvs”, basta manter contato pelo e-mail lucianozinn@hotmail.com

Capitão Lobisomen no Caribe

O sufoco do Kazumi em Chaguaramas

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Um dia lavando Pedras na Ribeira



Quem pensava que pedras não tomam banham esta redondamente enganado. Aqui na Ribeira elas tomam e da um trabalho danado. Passei simplesmente um dia todo dando banho nas danadas. E estão ai as fotos para não me deixar mentir. Ta bom eu explico tudo pra vocês seguidores do Blog : Ganhei uma carrada de britas do seu Zé, um vizinho muito bacana daqui da Ribeira e como estavam a muito abandonadas em frente a sua casa estavam todas com muita terra. Resumindo recolhi as britas, levei para a Ribeira Adventure Club e lá comecei a ardua tarefa de dar banho nas queridas. Tudo isso porque estou na fase final da confecção dos pilares de sustentação do pier flutuante em que dois tubos de 150 mm de p.v.c que levam concreto armado dentro e entre outros materiais a famosa brita que não pode ter nenhuma impureza .No processo utilizei uma peneira em que ia colocando um balde de cada vez para serem lavados com jato d´agua.
Copiou mano velho!!! O blog da Ribeira Adventure Club tambem eh cultura!
Vai lavar pedra no.....

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Primeiro mês de trabalhos na Ribeira Adventure Club


A segunda poita foi trazida através deste flutuante idealizado para este fim. Aluguei com o Bryan, um ingles que vive na praia do Jacaré . O processo todo se iniciou com o Eduardo mergulhando para engatar um gancho no elo da poita. Depois entre dois e com o auxilio de um carretel enorme e um sistema de polias subimos a monstra até a superfície. A pior parte que foi reboca-la até a Ribeira, uma milha do Jacaré, com o pobre Tritton a frente da ardua tarefa. A cerca de 2 nós com maré ainda subindo chegamos finalmente a Ribeira Adventure Club para posiciona-la.

Concita na pintura do flutuante utilizando oléo queimado para proteger as madeiras . O Flutuante foi uma das primeiras tarefas desde a chegada aqui no dia 01abr10. Tem cinco metros de comprimento por 2,5 metros de largura e 10 tonéis de aço de 200 litros para a sustentação.

Agora com o flutuante ja na agua começamos o trabalho de pregar o piso. Primeiro tinha que furar para depois pregar os mais de 400 pregos. Por sorte teve tambem a ajuda do companheiro Eduardo que esta visitando a Ribeira nestes dias. O pior era a extensão que teimava em cair na agua arriscando a eletrecutar tudo a volta. Por sorte não houve
danos desta vez.



Nas horas de folga dos trabalhos prioritarios ainda arrumavamos tempo para ir dando uma faxina no quintal. Aqui limpando um dos oito pés de coqueiro também com a ajuda do Eduardo ( visitante também é colocado no trabalho por aqui).




quarta-feira, 5 de maio de 2010

Ribeira Adventure Club - Um refugio para os Aventureiros de Plantão!!!

Minha vida sempre foi pautada pelas aventuras desde o princípio. E os Esportes de Aventura foram os que mais me atraparam. Das Bikes desde a infância até hoje, passando pelo Skate, o Surf, a Canoagem, as Corridas & Caminhadas e por ultimo, ainda, a Vela de Cruzeiro, fazem parte da minha vida até hoje. Mas depois de 5 anos velejando a costa do Brasil, America do Sul, Caribe e Europa senti a necessidade de ter um porto onde voltar. Além disto ja estava um pouco cançado da vida instável que vinha levando tendo que matar um leão em cada novo porto para ir alimentando o meu sonho de seguir navegando. O pobre Tritton se desmantelando com a falta de grana para manutenção e ainda assim me levando com bravura a onde a minha mente alcançava. Quando voltei ao Brasil, depois de 1,7 meses pelo Caribe e Europa tive tempo de sobra para reflexionar e dar uma nova cara para minha vida. Queria apartir desta ultima experiência ter um pé na terra e outro no mar. Mas o que fazer para concretizar esta nova etapa. Depois de um ano atolado no mangue em São Luis-MA, zarpei novamente com o Tritton em busca desta resposta. De porto em porto novamente, fui descendo a costa Brasileira com um outro olhar. São Luis, Luis Correia, Camocim, Jericoacoara, Torrões, Paracuru, Fortaleza, Areia Branca, Macau, Guamaré, Galinhos, Praia do Marco, Natal e finalmente Cabedelo na Paraiba. Aqui veio a resposta que estava buscava. Depois de um mês ancorado na praia do Jacaré, em uma manhã resolvi me aventurar para o outro lado do rio com o dingue e ver que surpresas me reservava. Deste passeio surgiu ante mim um recanto excepcional e tranquilo em meio a ilhas e manguesais e uma pequena vila de pescadores ainda como nos tempos de outrora. La encontrei uma casa em frente ao rio Ribeira com um muro de pedras e boa profundidade para ancorar veleiros. Na mesma hora me veio a ideia - Montar uma pequena marina e refugio para aventureiros. Surgia um mês depois a Ribeira Adventure Club - O Seu Clube de Aventuras na Paraiba!!!